Como faço para encarar provas “up down hill”

Como faço para encarar provas “up down hill”

Decidi recentemente me dedicar a uma prova para lá de desafiadora daqui pouco mais de três meses: a inédita maratona na já tradicional Corrida da Graciosa, no litoral do Paraná, em 20 de outubro de 2018.  A prova faz parte do Circuito Amazing Runs e já é realizada desde 2001, idealizada pelo educador físico Tadeu Natalio, muito conhecido na organização de corridas de rua e desafios em todo o Brasil.  A história de como a prova nasceu é contada pelo próprio professor Tadeu.

Ele revelou que em 2001, quando Luiz Celso de Medeiros, procurador da justiça e corredor curitibano, teve a iniciativa de comemorar seu aniversário de 50 anos, convidando 50 amigos para o desafio de subir a Serra da Graciosa correndo.  Como recompensa, todos que completassem o desafio ganhariam como prêmio do aniversariante um almoço no topo da serra de muito história. Por ser uma estrada de preservação ambiental, os números de corredores participantes são limitados, mas a procura é sempre grande. Fiz uma única vez a Corrida da Graciosa, na edição de 2009.  Senti horrores! Confesso que não estava preparado para fazer os então 20 kms de prova (quase todo de subida). Terminei, mas senti dores fortes nas panturrilhas, pés e joelhos. O esforço foi grande e continuo demais para quem jamais treinava em subidas com a aquelas da Graciosa.

Vocês, leitores, podem achar que estou falando tudo para desencoraja-los a encará-la, mas não é nada disso. Estou aqui para dizer que nove anos depois quero me preparar de maneira adequada, não apenas para meia-maratona, mas também para os inéditos 42km 195m. A maior dificuldade em provas com sobe e desce contínuos, caso da Graciosa que são 21 kms descendo e outras 21kms subindo, é que o esforço e impactos são repetitivos.. Então convoquei o preparador Marco Aurélio Piazza, da Equipiazza, para falar um pouco de como a gente deve se preparar da melhor maneira para provas assim. “Todo cuidado começa na descida, na primeira parte da prova, porque exige muito das articulações. Por isso é importante fazer uma descida com cautela, porque embora pareça mais fácil, se não houver reserva de energia, será muito mais complicada a subida. Portanto, além dos treinos adequados, é preciso trabalhar a mente para não exagerar no esforço na descida, que é a primeira etapa dos 42kms”, explicou Piazza.

Bom, agora com a dica, é hora de me dedicar aos treinos!

Inscrições e informações para a Corrida da Graciosa no www.amazingruns.com.br

Coluna: Angelo Binder é jornalista, diretor da Comando Comunicação e corredor há 14 anos

 

Veja também:

O “pé chato” na vida do corredor

As crianças e o Amor pela corrida

Três dicas para evitar problemas respiratórios e manter os treinos no frio

 

 

 

 

1 comentário sobre “Como faço para encarar provas “up down hill”

Deixe um comentário