A saúde integral começa pela boca

A saúde integral começa pela boca

Na minha coluna desse mês vou falar sobre um tema que, aparentemente, não tem nada haver com a corrida: saúde bucal. Há cerca de um ano, tive um sério problema no segundo molar superior direito que acarretou na necessidade de extração do dente e na colocação de um implante. Fiz um procedimento cirúrgico para começar o preparo do osso para receber o implante e estou de molho, sem poder fazer qualquer tipo de exercício físico desde então.

Conversando com amigos ligados à corrida sobre meu problema do momento, fiquei sabendo que a saúde bucal é um dos fatores que influenciam (e muito) o desempenho de atletas. Fiquei bem surpresa e curiosa que sou fui atrás de mais informações, conversei com a dentista Michelle Horst que me ajudou a entender um pouco melhor sobre o assunto.

“Existe uma área da odontologia que trata especificamente disso, que é a “odontologia esportiva” ou “odontologia do esporte”. O especialista em esporte pesquisa a fundo a interação da pratica de exercícios e os efeitos sobre todo o sistema “estomatognático” (boca, dentes, musculatura, crânio, irrigação) e vice-versa” explica Michelle.

A ideia dessa nova área de especialização da odontologia é partir da premissa que a saúde bucal é a extensão da saúde geral. Para isso o especialista em odontologia do esporte estuda a relação da má oclusão com a má postura do atleta; as doenças respiratórias, seus tratamentos e sua relação com o rendimento esportivo; a anatomia e biomecânica do movimento e sua importância no estudo das fraturas orofaciais e capacita o dentista a projetar dispositivos de proteção individual.

Segundo Michelle Horst, além da parte preventiva de lesões provenientes de incidentes durante a prática esportiva, existe uma bactéria encontrada em grande quantidade na boca que pode se alojar no coração e causar insuficiência cardíaca e que impossibilita a prática de esportes de alta intensidade. Sendo assim, visitar um dentista regularmente é sim parte essencial da preparação de qualquer atleta, seja ele profissional ou amador.

Boas corridas!

 

Vanina Machado é jornalista, diretora da Comando News e assessora de imprensa da Global Vita Sports.

Veja também:

Cinco maneiras de vencer o cérebro e não desistir de correr 

Missão dada é missão cumprida!

5 coisas que uma mulher de 40 anos precisa saber sobre hormônios para começar a correr 

Chuva pesa bem menos que a consciência

Como emagrecer aos 40 anos

Deixe um comentário